António Manuel Gomes Barbosa

Exchange student from Polytechnic Institute of Portalegre, Portugal in the MPI Programme Bachelor of Science in Nursing

 

Participar nesta aventura asiática de vir para Macau para realizar cerca de quatro meses de estágio no Hospital Conde S. Januário, em pleno mês de agosto, ao abrigo de um protocolo de cooperação entre o Instituto Politécnico de Portalegre e o Instituto Politécnico de Macau, foi sem dúvida uma experiência marcante e bastante interessante.
 
Para alguém como eu, que ainda não tinha tido oportunidade de visitar a Ásia, e que vinha um pouco à descoberta e sem saber muito bem com o que contar, foi um início algo difícil e que requereu alguma capacidade de contornar algumas dificuldades, principalmente devido à distância que me separava da família, ao clima, algo agressivo para os habitantes do Sul da Europa com percentagem de humidade a rondar os 98%, a barreira linguística, porque o português, embora ainda seja uma das línguas oficiais da Península, já é raramente ecoado e a única forma de comunicação seja o Inglês, pese também o facto de muitos habitantes não falarem a língua, e também a alimentação, totalmente diferente da dieta mediterrânica a que estamos habituados.
 
Para ultrapassar estas dificuldades, contei com o apoio inexcedível dos respetivos professores e colaboradores do MPI, não podendo deixar de destacar a Dra. Isabel Rosa Duque, da Divisão dos Assuntos de Estudantes, dos preceptores responsáveis das várias unidades clínicas na área da enfermagem, nas quais desempenhei funções, alguns deles portugueses, e também do companheirismo, colaboração e amizade de alguns elementos com os quais fui contactando ao longo da minha estadia, alguns deles de nacionalidade chinesa. 
 
Experiência muito positiva, foi a conseguida através dos vários locais de ensino clínico que tive oportunidade de experienciar, não apenas no Hospital mas também no centro de saúde do Tap-Seac, quer na parte da observação de várias metodologias de trabalho quer no contacto com máquinas e materiais inovadores.
 
Agora, que o tempo previsto de permanência se esgotou, olho para trás e vejo que afinal, ele decorreu de forma muito rápida e, querendo voltar para Portugal para voltar a visionar os rostos e abraçar aqueles que me são queridos, sinto já uma certa nostalgia de ter que partir e deixar algumas coisas que para mim foram e continuarão a ser muito prazerosas.
 
Por isso, obrigado Macau, obrigado MPI e um bem-haja a todos os que, de uma forma ou de outra contribuíram, ainda que inconscientemente, para que que eu conseguisse atingir os objetivos a que me propus.